6 profissões em que você poderá ajudar pessoas com deficiência 6 profissões em que você poderá ajudar pessoas com deficiência

6 profissões em que você poderá ajudar pessoas com deficiência

Nos últimos anos, a preocupação com pessoas com deficiência tem aumentado. O IBGE aponta que, da população brasileira, 6,2% têm algum tipo de deficiência, seja auditiva, visual, física ou intelectual. A parcela da população com deficiência física representa 1,3%, ou seja, mais de dois milhões de pessoas, das quais somente 18,4% frequentam algum tipo de reabilitação.

Esses dados assustam a todos, mas em especial aqueles para os quais ajudar pessoas com deficiência significa mais do que fazer boas ações esporádicas. Sim, se você se preocupa com os outros e está buscando decidir sua carreira e futuro profissional, a possibilidade de unir esses dois objetivos pode abrir perspectivas muito promissoras.

Você entendeu que o mercado de trabalho para atendimento a pessoas com deficiência ou em reabilitação já é grande, e, com o aumento da expectativa de vida, a tendência é aumentar exponencialmente. Considerando que algumas deficiências ocorrem em virtude da idade avançada, podemos acrescer aos números acima a população idosa e todas as suas necessidades. Ou seja, são milhões de pessoas esperando por ajuda profissional!

Decidir qual carreira seguir é vital para sua realização profissional. E, se conseguir unir sua paixão e a escolha da profissão, suas chances de sucesso e satisfação pessoal aumentam muito. Ficou curioso para saber sobre quais profissões vamos falar? Veja abaixo as opções:

Enfermagem

O profissional de enfermagem cuida diretamente dos pacientes, ajudando a restaurar e manter sua saúde. Este profissional mantém mais contato com os pacientes do que qualquer outro profissional da área. O contato direto e constante age diretamente na saúde física e mental do paciente, particularidade muito valorizada considerando pessoas com deficiência. 

Por meio do contato direto é possível criar empatia, facilitando o tratamento e trazendo informações importantes para o cuidado diário dos pacientes. Ensinar alguém a se cuidar é aumentar as chances daquela pessoa alcançar mais qualidade de vida no futuro.

Psicologia

O psicólogo capacita as pessoas a se conhecerem melhor, ajudando a mudar conceitos e ideias prejudiciais à saúde mental e física. No caso de pessoas com deficiência, um dos objetivos é o tratamento de traumas e sentimentos gerados pela sensação de incapacidade parcial, carência e até mesmo a impressão de estar recebendo cuidado e atenção em excesso. Algumas pessoas não aceitam bem o cuidado recebido e precisam aprender a lidar com essa situação.

Trabalhar com a mente de pessoas tem a ver com aumentar a autoestima, melhorar a autoaceitação e facilitar o relacionamento com o mundo externo. Como vemos, é um trabalho em dois ambientes complexos, o interior e o exterior, e ambos são influenciados por fatores e agentes de dentro e de fora. Achou desafiador? 

Serviço social

Cuidar da sociedade, ajudando pessoas a se integrarem e viverem com qualidade. Embora o cuidado seja realmente abrangente, a preocupação maior do assistente social é reduzir as dificuldades de integração e acesso às políticas básicas, direito da população, eliminando obstáculos e criando caminhos de acesso à saúde, educação, moradia de qualidade e serviços básicos.

Dentro desse complexo ambiente social, ajudar pessoas com deficiência é prioridade que não se resolve apenas com leis. Como o mercado consumidor é enorme, muitas empresas têm voltado a atenção para suprimento de serviços que o Estado não consegue realizar. Depois de entrar nas áreas de educação, saúde, segurança e transporte, a iniciativa privada volta os olhos para atendimento a pessoas com deficiências e em reabilitação.

Fisioterapia

Muito presente no mundo dos esportes, o fisioterapeuta age na correção de problemas decorrentes de doenças e lesões musculares, atuando também de forma preventiva. Em se tratando de pessoas com deficiência, o trabalho é mais profundo e vital. O desenvolvimento de habilidades funcionais, considerando aspectos motores, emocionais e cognitivos é uma importante contribuição do fisioterapeuta para aumento da qualidade de vida e integração desses indivíduos à sociedade.

Conquistas alimentam a autoestima, pareçam grandes ou não. O fato é que, a cada etapa vencida por uma pessoa com deficiência, sua autoestima a impulsiona ainda mais para a frente e a motiva a superar quaisquer dificuldades que vierem. E não são poucas.

Fonoaudiologia

Atuando nas áreas da linguagem oral, escrita, audição e motricidade oral, o trabalho do fonoaudiólogo abre portas para a melhoria na comunicação das pessoas com deficiência, permitindo maior integração com o mundo que nos cerca. Romper as barreiras de comunicação que afetam esse grupo significa inserção social com qualidade, liberando os caminhos a serem seguidos. Inúmeras histórias de superação foram resultados de esforço e força de vontade, aliados ao trabalho persistente de profissionais dedicados e comprometidos.

Esse profissional auxilia pessoas com deficiência a entenderem melhor as mensagens verbais e escritas, aumentando as possibilidades de aprendizado e formação pessoal e profissional. Comprovadamente, as barreiras físicas e psicológicas para a entrada de profissionais no mercado de trabalho vem caindo em níveis bastante satisfatórios. Mas ainda há muito a se fazer.

Artes

Talvez uma das profissões mais desafiadoras de almejar quando se trata de ajudar pessoas com deficiência, o profissional de artes terá um caminho tanto árduo quanto compensador. Se sua sensibilidade não se restringe ao gosto por artes cênicas ou plásticas, música, teatro, cinema e tantas outras modalidades da área, se utilizar das artes para integrar à sociedade esse público tão seleto quanto especial com certeza lhe trará muita satisfação e realização pessoal, culminando com sua realização profissional.

Dotadas de grande sensibilidade, pessoas especiais assimilam profundamente a essência da arte. Suas carências em se comunicarem e serem compreendidas serão plenamente satisfeitas, trazendo a esse mundo sua visão particular e inusitada. E, claro, também trarão mais cor, sentimento e alegria.

Sua preparação para o vestibular não se limita aos estudos, mas tem a contribuição das experiências que você acumulou e como reagiu a elas. Em sua carreira não será diferente. 

Se preparar para ajudar pessoas com deficiência, buscando um mercado com demanda crescente e fervilhando de oportunidades deve ser uma decisão objetiva, ainda que plena de convicções e vocação. Uma faculdade reconhecida por sua dedicação e reinvestimento no aluno, facilitando seu aprendizado por meio de um ensino vibrante já será um ótimo começo. Quanto ao restante do caminho, bem, dependerá de você e das pessoas que você conquistar pelo caminho.

Se quiser mais ajuda para decidir os rumos de sua vida profissional, temos muito a oferecer. Siga-nos nas redes sociais e lhe garantiremos mais conteúdo valioso e de qualidade!