Impressora 3D: um revolução no método de aprendizagem

As impressoras 3D, apesar de ainda serem pouco utilizadas no Brasil, já ganharam espaço em universidades, laboratórios e escritórios em todo o mundo. A facilidade com que o usuário pode utilizá-la e as opções oferecidas por ela são alguns dos atrativos desse equipamento, que é a cara do futuro. Pensando nisso, vamos falar hoje sobre a impressora 3D e a sua utilidade no ensino. Acompanhe!

O que é uma impressora 3D?

A primeira versão do que seria a impressora 3D foi criada na década de 1980, pelo norte-americano Charles Hull. Esse protótipo era usado, apenas, para a produção de lâmpadas de resina e para a criação de ferramentas de plástico.

Hoje, as impressoras 3D são usadas para uma infinidade de setores, desde a produção de bens de consumo, o uso particular em residências e até para auxiliar nos estudos nas escolas e universidades.

A partir delas, é possível produzir bens como fones de ouvido, alimentos, veículos, casas, roupas e acessórios, instrumentos musicais, ferramentas, tatuagens, equipamentos médicos e até mesmo outras impressoras 3D.

Outra vantagem desse tipo revolucionário de impressora é que todos os produtos provenientes dela são ecologicamente corretos, uma vez que não é necessário o uso de materiais tóxicos para a produção.

Como é o seu funcionamento?

A impressora 3D tem um funcionamento muito simples e intuitivo. Para que um objeto ou produto seja criado por meio dela, é necessário que o usuário tenha um aplicativo de ferramentas em 3 dimensões.

Neste app, deverá ser projetado o modelo do que se pretende imprimir, para mandá-lo para a impressão. O processo é muito rápido e, em alguns minutos, o objeto impresso ganha forma, dimensão e profundidade.

Como ela pode ser utilizada no ensino?

Nos Estados Unidos, na Grã-Bretanha, na Austrália e em outros países, as impressoras 3D já estão sendo utilizadas em escolas e universidades como complemento do ensino.

Por meio dessa tecnologia, o ambiente da sala de aula não será apenas mais um espaço de troca entre professores e alunos, mas também uma oportunidade para que os estudantes entrem em contato com a vida prática das disciplinas que estão estudando.

Assim, o aprendizado ultrapassará a esfera teórica e proporcionará aos alunos um conhecimento muito mais prático, interativo e dinâmico.

Quais são os cursos que utilizarão a impressora 3D?

No exterior, muitos cursos já estão adaptando as suas disciplinas para o uso de equipamentos tecnológicos, como as impressoras 3D.

Listamos abaixo os cursos nos quais a impressora 3D é uma grande aliada para o conhecimento. Veja:

1. Engenharia e Arquitetura

Como falamos acima, com as impressoras 3D é possível produzir casas, apartamentos e até castelos. Para os cursos de Engenharia e Arquitetura, essa funcionalidade será de grande ajuda, porque os alunos poderão colocar em prática os seus projetos elaborados na sala de aula.

Qual estudante não gostaria de ver a ideia que projetou durante meses sair, literalmente, do papel? Com o uso de uma impressora 3D, esse desejo se tornará realidade!

2. Design

No curso de Design, os alunos desenham e planejam produtos que poderão ser inseridos no mercado. No entanto, durante a faculdade, esses produtos não chegam a ser efetivamente produzidos. A sua idealização e o seu planejamento são muitas vezes arquivados e servirão apenas para avaliação dos professores.

É por isso que utilizar uma impressora 3D nesse curso será um avanço no conhecimento. Por meio dela, os produtos dos alunos poderão ser realmente produzidos e até disponibilizados para venda em feiras e eventos da universidade.

3. Química

Imagine um estudante do curso de Química estudando as moléculas e os componentes químicos por meio de imagens e fotos computadorizadas, retiradas de livros e apostilas. Agora, pense em uma situação muito mais moderna: estudantes do curso de Química analisando moléculas e componentes químicos, em formato ampliado e tridimensional.

É claro que a segunda hipótese é muito mais interessante e atrativa, além de proporcionar um conhecimento mais profundo e específico dos componentes que se pretende pesquisar.

Com a impressora 3D, esse tipo de aprendizado é perfeitamente possível e a variedade de combinações de átomos e moléculas é infinita.

4. Gastronomia

Também mencionamos anteriormente neste artigo que as impressoras 3D são capazes de produzir alimentos. Esta capacidade é de grande ajuda para o curso de Gastronomia.

Por meio da técnica chamada de gastronomia molecular, as impressoras 3D são utilizadas para produzir vários tipos de alimentos nos formatos mais inusitados, como panquecas de Torre Eiffel e chocolates de 50 cm de comprimento.

Outros usos das impressoras 3D também são muito populares. É o caso das frutas produzidas com pérolas gelatinosas e sabor concentrado, disponíveis em vários tamanhos, texturas e cores diferentes.

5. Medicina

Na Medicina, as impressoras 3D já são utilizadas para a criação de equipamentos e produtos que facilitam a vida de médicos e pacientes.

Alguns exemplos que podemos citar são células cartilaginosas que substituem as cartilagens do corpo humano; réplicas de órgãos capazes de auxiliar no planejamento de cirurgias; implantes que substituem os ossos humanos ou corrigem má-formação de órgãos; dentre outros.

Tudo isso poderá ser utilizado na sala de aula, para a prática de cirurgias, análise de órgãos humanos, etc.

6. Ciências Biológicas

Esqueça as réplicas de animais e seres humanos que encontrávamos nos laboratórios de Biologia das universidades. Agora, amostras de sistemas, órgãos e até de seres vivos completos estão sendo produzidos por impressoras 3D.

Há uma infinidade de opções que poderão ser exploradas pelos estudantes de Ciências Biológicas, que não precisarão mais ficar engessados nas opções fornecidas pelos laboratórios. Com as impressoras 3D, será possível criar qualquer tipo de ser vivo que precisa ser estudado pela turma, o que especificará ainda mais as pesquisas.

Além disso, a impressora 3D é capaz de criar réplicas com uma riqueza enorme de detalhes, o que possibilitará um estudo mais detalhado em todas as disciplinas do curso.

7. Geografia

Os mapas ganharam uma nova perspectiva com as impressoras 3D. A partir delas, os alunos poderão estudar topografia, hidrografia, demografia e população em alto-relevo, o que dinamiza ainda mais os estudos.

A especialização aqui também será muito mais prática, tendo em vista que a impressora 3D tem a capacidade de criar mapas de qualquer parte do mundo.

É sempre bom ficar por dentro das novas tecnologias que auxiliam o ensino nas universidades. Se você gostou de aprender um pouco mais sobre a impressora 3D, vai se interessar pelo artigo 4 tecnologias do futuro que vão afetar o ensino nas universidades. Clique no link e confira!



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *