Por que ninguém lê seu currículo?

Uma grande quantidade dos currículos recebidos pelas empresas para uma vaga acaba sendo descartada. Você, estudante ou profissional, que cria seu currículo pode acabar caindo nessa situação por uma série de equívocos que comete ao elaborar e enviar o documento.

É com o intuito de ajudá-lo a contornar esse problema que criamos aqui uma lista com os erros mais comuns contidos nos currículos que são descartados pelas empresas.

Fique de olho e aprenda, de vez, porque ninguém lê seu currículo!

1. Mal escrito

Alguns dos principais motivos que fazem com que seu currículo vá diretamente para o lixo são a ortografia e a linguagem. Isso porque a comunicação é uma habilidade essencial para qualquer cargo em qualquer empresa.

Um currículo mal escrito, com muitos erros de português, erros semânticos ou de coordenação, com abreviações e linguagem inapropriada — informal e com gírias — são inaceitáveis e superam negativamente várias outras falhas no momento de montar um currículo.

Dessa maneira, após escrevê-lo, leia-o, revise-o ou, se necessário, peça a um amigo “fera em português” para revisá-lo para você e tenha certeza de que ele está impecável no que diz respeito à linguagem.

2. Muito longo

Imagine quantos currículos são lidos pelos recrutadores sempre que uma vaga é divulgada por uma empresa. Embora você suponha que um bom candidato é aquele cujo currículo mais parece um livro, isso não é verdade. A impressão dada, na verdade, é oposta.

Ao ver um currículo extremamente longo, a empresa imagina que o candidato não foi objetivo, não se estabilizou em empresas anteriores, não possui tanta experiência assim ou mesmo que não é um candidato confiável.

Assim, ao montar seu currículo, certifique-se que ele não é muito longo e evite colocar todos os seus documentos pessoais. Escreva os dados realmente relevantes à vaga pretendida e evite ser prolixo.

Lembre-se que, se for convidado para etapas seguintes como a entrevista, você terá mais tempo para falar sobre sua carreira e suas experiências.

3. Experiência irrelevante

Muitos currículos dispensáveis para a empresa apresentam descrições que são irrelevantes para o cargo oferecido.

Assim, no tópico de experiências profissionais, coloque primeiramente o seu cargo atual ou mais recente e, por último, o mais antigo. Não se esqueça de excluir experiências que não possuem relevância à vaga pretendida, pois elas somente aumentam o tamanho do seu currículo e não agregam nenhuma qualidade a ele.

O fato de você ter ganhado o prêmio de melhor trabalho de graduação do segundo período pode ter sido motivo de orgulho para você e seus familiares, mas pode não ter muita importância ao ser citado em seu currículo. Tudo é uma questão de pertinência.

4. Foco errado

Outro erro comum nos currículos que são rejeitados pelas empresas é o direcionamento equivocado à vaga pretendida. A experiência profissional anterior citada em seu currículo deve estar de acordo com a vaga a que se candidatou, isto é, de pouco adianta você ter trabalhado a vida toda como professor universitário e acreditar que, mesmo tendo excelência em suas qualificações, é o candidato ideal para um cargo de diretor administrativo em uma multinacional.

Por isso, seja realista em relação às suas atribuições e procure direcionar o seu foco para cargos que tenham a ver com a sua trajetória profissional ou, caso queira mudar o rumo em sua carreira, invista em conhecimentos que o habilitem nesse novo foco.

5. Criatividade desnecessária

Um currículo apresentável é diferente do currículo dito “criativo”, com fontes rebuscadas e fora do padrão, cores em excesso, imagens, gráficos etc. O currículo profissional deve ser feito em fonte tradicional — Arial ou Times New Roman —, preferencialmente, em escala de cinza e não deve conter imagens e outros elementos que dispersam a atenção.

Evite ser muito irreverente, pois isso pode deixar seu currículo confuso ou incoerente. Além disso, atente-se para o formato do arquivo, que pode ser o solicitado pela companhia ou deve ser fácil de abrir e de ler — como o PDF, por exemplo.

6. Preferências pessoais

Lembre-se: a sua experiência profissional é o que conta em uma vaga de emprego.

Preferências políticas, crenças religiosas, prolongar-se em características pessoais, ser prolixo ao descrever hobbies são erros ao montar um currículo e podem deixar o leitor confuso, impaciente e fazê-lo concluir características em seu comportamento que são incompatíveis à vaga oferecida.

Assim, seja imparcial e objetivo ao descrever seus interesses e cuide para que tudo o que for citado tenha relevância com a vaga proposta. Por exemplo, se você acredita que o teatro foi crucial para trabalhar suas habilidades de comunicação, é mais inteligente dizer que você possui essas aptidões em função do teatro, de forma clara e direta, em vez de discorrer sobre o quanto você era introspectivo e tímido em suas relações quando começou o teatro e como se deu o processo para que você adquirisse uma melhor capacidade de comunicação.

7. Falso conhecimento

É mais interessante demonstrar um menor grau de capacitação que um falso conhecimento em alguma atividade. Mentir quanto às suas experiências e habilidades pode até fazer com que você passe para uma próxima etapa.

Entretanto, lembre-se que suas atitudes durante a entrevista podem desmentir suas capacidades e que os entrevistadores são treinados para perceber quaisquer pontos discordantes. Então, melhor não contribuir para ser riscado, definitivamente, da lista de candidatos de empresas importantes, não é mesmo?

8. Falta de objetividade

Já citamos aqui a importância em ser objetivo em suas descrições, mas resolvemos adicionar essa prática em um tópico especial para que você possa perceber a importância da objetividade não somente ao longo do texto, mas também em relação às suas intenções com a empresa e com a vaga pretendida.

Quando um empregador lê o seu currículo, ele espera contatar um candidato que queira, de fato, trabalhar ali. Por isso, é importante deixar isso bem claro: para cativar um potencial empregador, direcione o seu currículo para aquela determinada função e empresa.

Não faça um texto genérico ou apresente intenções para as vagas ou empresas X, Y ou Z, pois isso demonstrará que, para você, o importante é conseguir a vaga, independentemente do que você fará ou onde fará.

9. Falta de fluência em outros idiomas

Um outro erro muito comum é mentir sobre a fluência em outras línguas.

Já pensou que a sua função pode exigir fluência em espanhol, por exemplo, e, no momento da entrevista, você ter que explicar que o “nível avançado” declarado no currículo era graças à “grande facilidade em compreender a tradução daquela música que você adora, mas que na verdade a sua conversação não é tão avançada assim a ponto de atender clientes em espanhol”? Feio e inadequado, concorda?

10. Foto

Outra questão que pode atrapalhar o seu processo seletivo e causar muito desconforto nas seleções empresariais é a foto nos currículos.

Primeiramente, se for de interesse da empresa, ela vai informar a necessidade da foto. A não ser que seja solicitado, portanto, não é recomendado anexá-la em seu currículo.

Já, para as empresas que exigem imagens de seus candidatos, também é interessante o bom senso, pois a escolha da sua foto pode desvirtuar a imagem que a empresa cria de você e isso pode ser negativo para sua seleção.

Fotos muito informais, roupas decotadas, shorts, maquiagens em excesso, óculos escuros, camisetas regatas são de péssimo gosto. Escolha uma foto mais séria, neutra e profissional e deixe as fotos divertidas para momentos mais descontraídos.

11. Dados para contato

Por fim, as formas de contato! Nada mais desagradável que ter que enviar um e-mail para um candidato em potencial cujo endereço é “leandrogatinho@..”. Obviamente que, se o seu currículo for interessante o suficiente para a empresa e ela não for tão tradicional assim, esse detalhe pode passar em branco, mas não se arrisque por pouco: crie um e-mail cujo endereço para contato seja também neutro e profissional e garanta sua vaga rumo ao sucesso!

E você? Sabe quais outros equívocos mais comuns na hora de construir um currículo? Compartilhe conosco suas ideias!



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *