Preciso fazer cursinho pra passar no vestibular?

O final do ensino médio é um período conturbado em nossas vidas por uma série de motivos e, dentre eles, a pressão para passar no vestibular de primeira se coloca à frente de todos. Ela pode vir por parte da família, dos amigos, do ambiente escolar ou de si mesmo e, em todos os casos, ela é extremamente prejudicial. O que difere cada estudante é a maneira com a qual ele lida com essa pressão, e uma série de recursos começam a ser procurados para ajudar nisso.

Um cursinho, por exemplo, é uma das formas que os alunos usam para correr atrás dos estudos específicos para garantir a vaga do vestibular. Por ser caro, ou seja, por gerar um gasto a mais, muitos ainda têm dúvida: será que ele realmente vale a pena? Ou posso me manter apenas com os estudos em casa?

No post de hoje, vamos falar um pouco mais sobre como funciona um cursinho pré-vestibular e se ele é necessário para que você passe.

Quando começam as aulas de um cursinho?

Existem diferentes tipos de cursos preparatórios para o vestibular e o começo das aulas varia com cada um deles. Há alguns que começam em fevereiro, assim como as aulas regulares, e são chamados extensivos.

Por outro lado, existem os intensivos, que começam apenas na segunda metade do ano. Nesse caso, o conteúdo é visto com mais rapidez e dinamicidade e as aulas podem ser mais longas.

Qual a duração das aulas?

O período de aulas varia, assim como os tipos de cursinhos variam. Ele pode durar seis meses ou até o ano todo.

São comuns também cursinhos bem mais rápidos, nos quais são dados apenas algumas aulas sobre temas específicos. Esses costumam aparecer muito na época do vestibular, bem perto da prova, e abordam assuntos que costumam cair com maior frequência.

Como são as aulas?

Existem muitas diferenças na maneira com que um assunto abordado no colégio e em uma aula no pré-vestibular, e essa é a principal razão para esses tipos de aulas possuírem uma dinâmica tão diferente.

No cursinho, seu objetivo é garantir uma vaga na faculdade, e não boas notas. Por isso, não há muita cobrança: você não será notado se faltar e não pedirão que você apresente os exercícios feitos ou que você vá bem nos simulados. Toda a responsabilidade é colocada em você, e cabe unicamente ao estudante também adquirir essa consciência.

Como são voltadas para outro objetivo, as aulas do cursinho costumam ser feitas com base na maneira que os assuntos são cobrados nas provas. Análises de questões, por exemplo, são feitas com frequência.

Além disso, não existem provas ou trabalhos e todo o tempo é focado em exposição e exercícios. Os alunos também são muito diferentes: aqueles não são seus amigos e colegas de longa data, mas sim pessoas que podem estar há mais tempo que você tentando uma vaga e, por isso, possuem mais experiência. Assim, não se esqueça que o estudo deve vir em primeiro lugar.

Quais as vantagens de fazer um cursinho preparatório?

As vantagens de se preparar para a prova do vestibular frequentando um cursinho são muito claras: você terá uma preparação a mais, ou seja, um diferencial que o colocará à frente de muito outros candidatos.

Todas as aulas são focadas exclusivamente em provas e questões específicas abordadas todo ano, e você terá suas expectativas alinhadas à realidade, ou seja, não será surpreendido pela prova.

Além disso, fazer um cursinho é uma chance para aprender mais, amadurecer mais, conhecer novas pessoas e professores e, por isso, crescer muito. Você vai ter de lidar com diferentes situações que apenas o colégio não te proporcionaria. E o crescimento pessoal, além do profissional e acadêmico, também deve ser levado em conta. Faz parte da construção de quem você é!

E as desvantagens?

Pode parecer que não, mas existem algumas desvantagens em pagar por um cursinho pré-vestibular. Esta é uma das primeiras: pagar. Você terá de desembolsar uma determinada quantia do seu orçamento que pode fazer falta, e não passaria por essa situação se estivesse complementando os seus estudos em casa, por exemplo. Além disso, caso você esteja em dúvida se entra no cursinho paralelamente ao terceiro ano, por exemplo, alguns conflitos podem surgir.

Pode ser que fique difícil conciliar os estudos para as provas e para o vestibular, e o cursinho te tomará muito tempo também. Essa pode ser uma desvantagem caso você não seja extremamente organizado.

É válido também ressaltar que o curso preparatório pode ser uma pressão a mais. É preciso tomar cuidado para que a ansiedade não suba à cabeça. Fazer as duas coisas ao mesmo tempo pode ser estressante, e essa é uma grande desvantagem.

E como escolher um cursinho?

Caso você já tenha analisado bem se vale ou não a pena fazer um cursinho no seu caso, existem alguns aspectos que devem ser avaliados na hora de escolher qual o melhor local para fazer a sua preparação para o vestibular.

Veja como escolher o ideal para você:

1) Verifique a mensalidade

Caso você não queira gastar muito com seu pré-vestibular, existem alguns que possuem uma mensalidade bem mais baixa e, inclusive, alguns de graça — esses, geralmente, comunitários. Com alguma pesquisa e força de vontade, é possível achar um cursinho bem mais em conta e, ainda assim, uma opção que te ajudará bastante no final do ano.

2) Procure referências

Na hora de escolher o local no qual você investirá parte do orçamento de sua família, é preciso que isso valha a pena. Além de que, claro, você quer estudar em um lugar que realmente mostre resultados e forneça um bom ensino.

Portanto, procure conversar com pessoas que já fizeram pré-vestibular tal como você deseja fazer, inclusive de lugares diferentes para que, assim, você possa analisar suas opções. Opiniões são importantes nesse momento!

3) Analise seus objetivos

Como já dito, existem cursinhos específicos para algumas áreas, ou seja, que focam mais diretamente no estilo de prova e nas cobranças de determinadas universidades.

Sendo assim, avalie se a faculdade na qual você deseja ingressar ou o curso que você escolheu fazer exige essa preparação ainda maior de sua parte. Áreas artísticas, como artes plásticas ou música, por exemplo, exigem algumas habilidades que podem ser desenvolvidas ao longo de um período com um cursinho voltado exatamente para isso.

E aí, está em dúvida entre fazer ou não um cursinho pra vestibular? Conte sua experiências para a gente nos comentários! Esperamos ter ajudado com as nossas dicas!



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *