Quais as funções de um biomédico? Quais as funções de um biomédico?

Quais as funções de um biomédico?

Apesar de serem áreas distintas e com atribuições diferentes, é muito comum as pessoas confundirem Biomedicina com Medicina.

A Biomedicina é voltada para a parte de análises clínicas, sendo exercida principalmente em laboratórios. Mesmo assim, é possível seguir carreira acadêmica lecionando ou realizando pesquisas científicas.

Abaixo, apresentaremos de forma mais completa o que é ser um biomédico. Vamos lá?

Medicina x Biomedicina

A Medicina e a Biomedicina são duas áreas distintas, porém complementares. O foco do médico está em curar e restaurar a saúde de seus pacientes com base em diagnósticos de sintomas identificados.

Já o biomédico possui uma vasta área de atuação, sendo mais presente em laboratórios e indústrias e, em algumas vezes, nos hospitais. Seu foco de atuação está em pesquisas e análises para a identificação das causas de doenças e na busca por medicamentos e vacinas para auxiliar na cura de pessoas adoecidas.

A relação entre o biomédico e o médico é complementar, pois o formado em Medicina fornece as informações e dados levantados em seu diagnóstico para o graduado em Biomedicina que oferece o resultado das análises destes diagnósticos em forma de vacinas ou tratamentos experimentais. Um precisa do outro para trabalhar e obter sucesso na recuperação de pacientes.

A vida de um biomédico

O biomédico é o profissional que trabalha na pesquisa de causas e de cura de doenças que afetam os seres humanos, realiza exames e testes de laboratório, estuda processos fisiológicos e químicos em organismos, além das funções dos organismos celulares e das proteínas. O curso de Biomedicina possui muitos conteúdos relacionados a outras áreas como Biologia, Medicina e Farmacologia, logo, quem deseja ingressar nesta área deve ter afinidade com a área de Biológicas e, também, gostar bastante de Química.

Fazem parte da grade curricular do curso Fisiologia, Bioquímica, Informática, Administração Laboratorial, sendo sua base curricular direcionada às práticas laboratoriais.

O curso possui uma duração de quatro anos e possui foco em pesquisa, identificação e classificação de micro-organismos que causam doenças e na busca contínua de novas formas de tratamentos, de remédios e de vacinas. Durante o curso, é essencial que o aluno se dedique bastante à pesquisa acadêmica e à leitura, pois as inovações na área da Biomedicina ocorrem de forma constante.

A carreira está cada vez mais popular no Brasil devido às novas descobertas científicas, ao aumento do número de pesquisas relacionadas ao tratamento genético com células-tronco, aos tratamentos de fertilidade e, também, às descobertas de novas doenças e à necessidade de aprimoramento de vacinas e de medicamentos já existentes.

Ao cursar Biomedicina, o estudante pode escolher entre diversas áreas para trabalhar, pois o curso possui um leque muito grande de especializações, como análises clínicas, acupuntura, biossegurança, estética, embriologia e reprodução humana, genética, microbiologia, saúde pública e toxicologia.

As especialidades biomédicas

A Biomedicina possui um leque muito grande de opções de especialização. Abaixo, temos uma breve explicação das principais áreas para te ajudar a escolher qual caminho seguir:

Análises clínicas

É o ramo de conhecimento que atua no estudo de substâncias, a fim de coletar dados e apontar possíveis diagnósticos que indiquem alguma anomalia ou problema de saúde de um paciente.

Acupuntura

A acupuntura é um tipo de terapia que utiliza a aplicação de agulhas em pontos específicos do corpo, também denominados meridianos, para alcançar o equilíbrio do organismo, estimulando a melhorara do seu funcionamento.

Biossegurança

É o conjunto de estudos e procedimentos que têm o objetivo de evitar ou de controlar os riscos provocados pelo uso de agentes químicos, físicos e biológicos na biodiversidade.

Estética

É a área da Biomedicina dedicada a tratamentos corporais, faciais e demais cuidados ligados à pele, preocupando-se com o bem-estar dos pacientes por meio de práticas destinadas à recuperação de tecidos danificados por doenças ou acidentes (cicatrizes).

Embriologia e reprodução humana

É a ciência que trata do estudo, da formação e do desenvolvimento dos embriões. Este processo começa a partir da fertilização do óvulo por parte do espermatozoide, dando lugar à formação do ovo — ou zigoto — até o momento do nascimento.

Genética

É a ciência que estuda a hereditariedade, que nada mais é do que a transmissão de características genéticas dos seres que são passadas de geração em geração e é responsável pela descoberta do DNA que seria a estrutura chave que carrega a informação genética.

Microbiologia

É o estudo de micro-organismos — as formas de vida que, originalmente, só poderiam ser vistas com o auxílio do microscópio. Isso inclui as bactérias, os fungos, os vírus, os protozoários, as algas unicelulares, entre outros.

Saúde pública

O biomédico atua em pesquisas que podem fornecer dados desde o diagnóstico até a descoberta científica para a cura e para a prevenção de doenças que ainda devastam a população em geral.

Toxicologia

É a ciência que visa estudar os efeitos nocivos decorrentes de substâncias químicas no organismo de seres vivos e abrange múltiplas áreas do conhecimento.

Estas são apenas algumas áreas em que um profissional formado em Biomedicina pode atuar. A partir disso, é possível afirmar com certeza que se trata de um curso bem completo e que possui muitos outros aspectos a serem explorados.

O mercado de trabalho

A maior demanda de trabalho para um profissional formado em Biomedicina está nos laboratórios de análises clínicas, clínicas e hospitais. No entanto, o biomédico pode atuar em faculdades lecionando ou em pesquisas científicas, bem como em órgão públicos de saúde, em cozinhas, na indústria da biotecnologia, em laboratórios farmacêuticos e em análises de alimentos.

Em uma jornada de 44 horas semanais, o salário de um biomédico é de R$ 1.500,00 a R$ 2.650,00, segundo uma pesquisa salarial realizada pela Catho.

Além disso, para que o profissional formado em Biomedicina possa exercer suas atividades, ele deve se registrar junto ao Conselho Federal de Biomedicina (CFBM) e solicitar o reconhecimento da área em que atua. Para que o registro seja concedido ao biomédico, ele deve cumprir todas as exigências realizadas no processo.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre o que é ser um biomédico, que tal escrever para a gente e nos dizer o que achou do nosso post? O espaço para comentários é todo seu.