Pesquisa de alunos de Medicina da São Judas aponta que apenas 45% das pessoas usam a máscara corretamente

Estudo foi realizado em cinco cidades da Baixada Santista, durante três dias

Pesquisa feita por alunos do primeiro ano do curso de Medicina da São Judas – Campus Cubatão aponta que apenas 45% das pessoas observadas usam a máscara corretamente para prevenir o contágio pelo coronavírus. O levantamento foi feito em cinco cidades da Baixada Santista: Cubatão, Praia Grande, Santos, São Vicente e Guarujá, na semana passada, durante uma hora a cada dia, sempre no mesmo horário e local.

O estudo também mostrou que 40% das pessoas estão usando o acessório de forma errada enquanto 15% não o estavam utilizando. Segundo o infectologista e professor da disciplina Estações Clínicas/Habilidades Médicas, Evaldo Stanislau, o resultado é bastante preocupante, uma vez que o vírus está circulando. “As pessoas precisam usar a máscara corretamente para garantir a sua eficácia”.

Os alunos que participaram da pesquisa são: Fátima Maria Bernardes Henriques Amaral, Murilo Augustinho Muniz da Cunha, Evelyn Gutierrez Karl, Ana Paola Cameira e Dongmin Park. Ao todo, eles observaram 12.588 pessoas nas cinco cidades por uma hora durante três dias. Deste total, 1.952 pessoas não usavam máscara alguma. Mulheres usavam mais do que os homens.

Segundo a aluna Fátima Maria, foi uma experiência muito válida participar do estudo e contribuir de alguma forma com a sociedade. “São dados reais que ajudam a alertar. Foram três dias observando as pessoas em avenidas e ruas movimentadas. Me chamou muito a atenção gestantes e idosos sem máscaras”.

Uso correto – Entre as recomendações para o uso correto da máscara estão: higienizar as mãos antes de colocá-la, manuseá-la pelo elástico ou alça, cobrir nariz e boca e ficar bem ajustada no rosto.

Outra dica importante é não manusear a máscara ou ficar tocando nela. Se sujar ou molhar, é preciso trocar a peça. A cada 4 ou 6 horas, no máximo, ela precisa ser substituída por outra limpa. “A eficiência da máscara depende de seu uso correto por todos”, destacou o professor Evaldo.